quinta-feira, 29 de março de 2018

Olhar para Ti...


Acordar a teu lado e ficar a olhar e a pensar, no que passou e no que ainda há-de vir.


Continuas a ser diferente, pelo menos se pensar na maior parte das mulheres, talvez por não seres jogadora.

Somos parecidos. E o mais curioso, é que nos entendemos, melhor do que se fossemos um casal tradicional.

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Estavas...


Estavas irritada e pensativa.


Mesmo assim continuavas bonita.

Fingi que estava distraído, porque era preciso passar ao lado do nosso tempo...

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Novo Ano...


O novo ano finge que é diferente dos outros.



Mas depois, percebe-se que é tudo igual, se esquecermos as marcas no corpo, a mudança da cor do cabelo, a paciência para aturar alguns outros, que se revelam aos nossos olhos, ligeiramente mais estúpidos e chatos.

Pelo caminho podemos mudar de rua, de café, de bairro e até de cidade...

E experimentar a ilusão de que é possível voltar a viver uma vida nova.

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Às Vezes Penso em Ti...


Sei que vens cá.

Só não sei com que frequência.


Às vezes penso em ti. É bom.
Até finjo acreditar que tu o teu corpo sabiam a mel.

Talvez te tenha usado mais que tu a mim.
Sonhaste mais que eu.
Normalmente é assim, vocês são de sonhar de fazer projectos.
Nós somos, ou pelo menos fingimos, que somos mais práticos.
Embora quando a "febre do amor" nos ataca,
as fragilidades e inseguranças venham todas ao de cima.

Foi isso que te aconteceu.
Foi isso que nos separou, irremediavalmente...

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Dizer Olá ao Inverno


Toda a gente finge pedir chuva.


Como se andar de chapéu pelas ruas fosse uma coisa doce, ou saltitar de poça em poça. 

Mesmo sabendo que brincar com esta água amarelada, em caminhos de terra, é uma das muitas possibilidades que temos de voltar à infância...

Claro que há quem goste do mar o ano inteiro. E quem o aproveite mais no Inverno que no Verão, pela sensação de liberdade e facilidade de comunicar com as ondas...

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Memórias que Não se Apagam...


Campos que desapareceram, onde corremos e rebolámos.


Ficou tudo cheio de chamas, provocadas por homens cruéis, que infelizmente mataram. Só não conseguem é apagar memórias...

sábado, 30 de setembro de 2017

O Final de Setembro...


O fim de Setembro sempre foi dramático para mim.


Foram vários os namoros (mesmo já na idade adulta...) que não resistiram ao final do Verão... Nunca consegui encontrar uma explicação razoável.

Talvez o "gostar" de parte a parte, não fosse suficiente forte para aguentar a ausência (normalmente não morávamos na mesma cidade...).

A partir de certa altura evitei namoros de Verão, apesar de nesta estação ser tudo diferente, tudo mais apetecível, mais aberto, mais paradisíaco. mais prometedor...

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Mais um Verão Farto


Este Verão tem muito que se lhe diga. Mas não me apetece falar de tragédias. Apenas de que a estação quente está a encostar para o lado a Primavera e a ficar cada vez com mais tempo... e ainda insatisfeita, vai também "furtar" alguns dias ao Inverno...


Quem anda feliz com este tempo louco é a Glória, por poder dar tanto uso à sua casa da praia...

sábado, 29 de julho de 2017

Envelhecemos Quase Só por Fora. E Ainda Bem!


Olhaste-me como se ainda fossemos adolescentes e não tivessem passado vinte e muitos anos.


Também gostei de entrar nesta tua "peça", ser a personagem que emparelhava contigo. Esquecer-me de tudo o que entretanto tinha vivido, uns dias bem outros mal.

Quem é que afinal pretendíamos enganar? Ninguém... Gostávamos sim, de puder trocar as voltas ao tempo, que nos trás cabelos cinzentos, rugas... e dores aqui e ali.

Quem bom sentir que as tuas mãos continuam macias. Talvez seja do creme que usas. Ainda bem. Quem bom beijar-te a fingir que só tinha dezoito anos e sentir algo meu a crescer e a tocar-te na barriga...

terça-feira, 27 de junho de 2017

Encantavas-me e Assustavas-me com a tua Rebeldia...


Tanto me encantavas como me assustavas com a tua rebeldia. Todos diziam que saías à tua avó.


Sim, essa mulher deslumbrante, que foi a primeira da Vila a conduzir um automóvel e a ser demasiado independente, ao ponto de assustar quase todos os pretendentes...

O teu avô foi o único que teve coragem de "enfrentar a fera". Talvez pensasse que a podia domar, mesmo que lhe parecesse uma tarefa impossível. 

Contra todas as previsões foram felizes, tiveram seis filhos e 10 netos.

Tu não a imitaste neste campo. Dois casamentos, zero filhos e muitas dores de cabeça...

Cruzámos-nos na semana passada. Piscaste-me o olho e eu acenei-te. Depois saltaram as perguntas do costume: «quem é, quem é...» E eu disse apenas o teu nome, «é a Dulce».

segunda-feira, 29 de maio de 2017

O Gosto de Sair Para a Rua Sozinha...


Não me incomodava por aí além essa sua mania pouco feminina de andar sozinha pela rua.


Mas era estranho o seu gosto de sair de casa e dizer que ia dar uma volta pelo mundo...

Chamava-lhe vagabunda e ela sorria. Outras vezes chamava-me e pedia-me para colar o meu corpo ao dela e dizer que a amava.

E depois partia...

Hoje seria uma maluquice muito mais perigosa, por que fomos perdendo as ruas...

sexta-feira, 28 de abril de 2017

A Mulher que se Esquece do Tempo...


Nunca chega a horas.


Diz que não faz de propósito. Esquece-se do tempo...
Eu acredito, mesmo que seja mentira.

Não é assim tão difícil esquecermos-se que existem relógios.

Mas é muito chato entrar no cinema minutos depois da fita começar, estar a incomodar os outros no escuro e a tapar as legendas.

Sou daqueles que acham que ninguém devia entrar depois dos espectáculos começarem, mesmo que tivessem bilhetes nas mãos.

Acredito que se isso acontecesse uma vez à donzela, ficar à porta, perdia o hábito de se esquecer do tempo...